Texto por Build Up Media.

Dando prosseguimento à série de singles gravados ao vivo em seu especial Música Preta Potiguar, o selo Nightbird Records disponibiliza nas plataformas digitais o compacto da cantora e compositora Sâmela Ramos. Paulista de nascença e natalense de coração, ela entrega sua mescla de jazz e blues na gravação de suas duas primeiras músicas a chegarem às plataformas de streaming.

Nascida em Guarulhos (SP) e residente em Natal (RN) há dez anos, Sâmela iniciou sua trajetória na cidade em um grupo de ópera, mas há cerca de três anos, em busca de firmar sua identidade e quando passou a tocar na noite natalense, a cantora decidiu apostar em suas influências mais próximas: a música preta, do soul ao blues, chegando ao jazz em que se encontra hoje.

Registradas durante o Especial Música Preta Potiguar, as duas músicas do compacto trazem a força desses gêneros no trabalho da cantora. “Sina da Boemia” é um jazz simples, apenas com voz e guitarra, inspirado no desgaste proporcionado pela rotina dos músicos na noite, o que resulta em pouco retorno financeiro, mas também na manutenção do prazer pela arte.

“Ouça” é um épico à capella de 5 minutos, composta para o grupo Jahi Afrocidade e Artes, onde o eu lírico é representado por uma mãe aconselhando seus filhos e filhas em um momento solene, com a voz da sabedoria, em uma característica típica da música africana.

Sâmela Ramos, por Walter Nascimento.

O lançamento do compacto é a estreia de Sâmela Ramos nas plataformas digitais, e tem o objetivo de abrir mais portas para um gênero musical ainda elitizado no Brasil. A série teve início com Jo Piter e ainda vai ganhar singles duplos de Quilomba Zu e Sueldo Soaress, com uma música apresentada na live, outra inédita.

O Nightbird Sessions reuniu nomes experientes e calouros da cena norte-rio-grandense na programação, que foi realizada de forma adaptada devido à atual pandemia de COVID-19, seguindo os protocolos necessários de higiene e prevenção. O objetivo é promover não somente a inclusão e exposição desses artistas, mas também uma amostra do ecletismo característico da produção musical preta potiguar, contribuindo também para a quebra de estereótipos musicais e para a formação de público consumidor da música norte-rio-grandense. Além dos artistas, a iniciativa mobilizou produtores culturais, técnicos, musicais e audiovisuais pretos.

O projeto Nightbird Sessions foi contemplado com recursos da Lei Aldir Blanc no Rio Grande do Norte, Fundação José Augusto, Governo do Estado do Rio Grande do Norte, Secretaria Especial da Cultura, Ministério do Turismo e Governo Federal.

Os lançamentos da Nightbird Records acontecerão semanalmente nas plataformas de streaming. Enquanto isso, é possível ouvir os compactos de Jo Piter e de Sâmela Ramos nos principais serviços de música.

Ouça “Sâmela Ramos – Nightbird Sessions 2021: Especial Música Preta Potiguar”: https://backl.ink/144569952

Crédito: Walter Nascimento.

FICHA TÉCNICA
“Sina da Boemia” – composição: Sâmela Ramos e Moisés Cruz
“Ouça” – composição: Sâmela Ramos.
Moisés Cruz – guitarra em “Sina da Boemia”.
Apoio e Locação: Studio Blackhole.
Captação de imagens, edição de vídeo e legendas: Rebeca de Souza e Juliana Almeida – Bju Produções.
Produção executiva: Nightbird Records.
Identidade visual: Gabriel Carvalho.
Fotografia: Walter Nascimento.
Captação, mixagem e masterização: Luan Bates.

SIGA SÂMELA RAMOS NAS REDES SOCIAIS:
https://www.instagram.com/samelarms/
https://www.facebook.com/samelarms